GRAU DE INCAPACIDADE FÍSICA DE PORTADORES DE HANSENÍASE: ESTUDO DE COORTE RETROSPECTIVO

  • Claudia Regina Sgobbi de Faria Departamento de fisioterapia - FCT/UNESP
  • Cristina Elena Prado Teles Fregonesi departamento de fisioterapia - FCT/UNESP
  • Dayane Andrade Genoni Corazza departamento de fisioterapia - FCT/UNESP
  • Denise Mendes de Andrade departamento de fisioterapia - FCT/UNESP
  • Naiara Angélica Donato Truzzi Mantovani DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA - FCT/UNESP
  • Juliana Rosini Silva DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA - FCT/UNESP
  • Alessandra Madia Mantovani Cursa doutorado em Ciências da Motricidade - IB/UNESP - Rio Claro/SP http://orcid.org/0000-0003-2646-1350

Resumo

Introdução: A Hansenísase é uma doença infecciosa que pode ser responsável pelo desenvolvimento de inúmeras sequelas. Embora seja considerada uma doença de níveis de incidência descendentes, o tratamento e acompanhamento dos pacientes persistem mesmo com a cura da doença, em virtude das incapacidades deixadas por sequelas. Objetivos: Detectar o grau de incapacidade física inicial e final ao tratamento com poliquimioterapia de 1998-2008 de pessoas com hanseníase. Material e Métodos: Foram acompanhados periodicamente, desde a primeira consulta diagnóstica até a alta clínica, 325 prontuários de pacientes com hanseníase de ambos os sexos. Foi utilizado o Formulário para Registro de Incapacidades Físicas para classificar as incapacidades em graus e localização. Os dados pertencem ao setor de fisioterapia da unidade na qual os pacientes eram avaliados e orientados com frequência enquanto, paralelamente, eram assistidos por outros profissionais, como médicos e enfermeiros para controle de sintomas e terapia medicamentosa, bem como cuidados com feridas e orientações gerais. Resultados: Após o tratamento 65% dos pacientes apresentavam grau zero de comprometimento, decorrente da redução nos graus I e II e manutenção de 1% no grau III. Conclusão: O maior problema enfrentado foi anestesia, tanto para mãos quanto para pés e olhos. O número de complicações em cada caso diminuiu após o tratamento.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Professora substittuta atuante no departamento de Fisioterapia e no departamento de Planejamento, Arquitetura e Ambiente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (FCT/UNESP), campus de Presidente Prudente-SP.
Publicado
dezembro 23, 2015
Como Citar
FARIA, Claudia Regina Sgobbi de et al. GRAU DE INCAPACIDADE FÍSICA DE PORTADORES DE HANSENÍASE: ESTUDO DE COORTE RETROSPECTIVO. Arquivos de Ciências da Saúde, [S.l.], v. 22, n. 4, p. 58-62, dez. 2015. ISSN 2318-3691. Disponível em: <http://www.cienciasdasaude.famerp.br/index.php/racs/article/view/122>. Acesso em: 16 dez. 2017. doi: https://doi.org/10.17696/2318-3691.22.4.2015.122.
Seção
Artigos Originais

Palavras-chave

Avaliação em Saúde; Doenças do Sistema Nervoso Periférico; Hanseníase.